Perante a melhoria da situação pandémica, após o confinamento e para assinalar a reabertura  das lojas e das esplanadas, a Direção da Aeca está a acompanhar no terreno e a auscultar os seus Associados dos setores do comércio e da restauração, tanto em Arouca como em Vale de Cambra.

Com as dificuldades acumuladas ao longo de 2020, as empresas vão sobrevivendo, algumas com os apoios concedidos pelo Estado, embora insuficientes para compensar a redução da atividade e das vendas.

Há ainda empresas que se mantêm encerradas, nomeadamente na restauração em virtude do regime takeaway não ser suficiente para suportar os custos de estrutura, compromissos financeiros, reposição de stocks, venda de produtos sazonais, compras, e também porque não têm espaço para expandir o negócio em esplanada.

Cumprindo a legislação em vigor e apelando ao máximo cumprimento por parte dos clientes, os nossos Associados estão convictos das dificuldades mas estão motivados.

É altura, de demonstrar “confiança” nos empresários e nos cidadãos para o cumprimento das medidas de saúde pública.

A fiscalização por parte das autoridades competentes aumentou nas esplanadas para controlar o risco de contágio (higienização dos espaços, higienização das mãos, cumprimento das regras de distanciamento social, uso de máscara, são “palavras de ordem”). Uma medida que agrada os proprietários dos estabelecimentos, que nem sempre conseguem garantir o cumprimento das leis.

Neste contexto tão severo e premente para as empresas, a Direção da AECA reforça o incentivo ao consumo no comércio e restauração locais, feito em segurança e alerta a população, para importância do seu contributo na sobrevivência da economia local.